Primeira plenária discute ações do mandato; participantes fazem sugestões de temas a serem trabalhados por Betão na Assembleia

    Participantes viram as ações dos 100 primeiros dias de mandato e também pediram iniciativas para aproximação com os municípios, fortalecimento da cultura e fomento de políticas públicas voltadas para o social e por Lula Livre

    Não teve chuva nem medo de estrada que intimidasse os convidados da primeira plenária do deputado estadual Betão (PT), que marcou os primeiros 100 dias de mandato, realizada em Juiz de Fora, neste sábado (18/05). A abertura da plenária contou com um café da manhã com produtos do Movimento Sem Terra (MST), como valorização dos movimentos sociais e a agricultura familiar, seguido da mística de acolhimento com o companheiro Farinhada e o Slam Poético Sararau Crioulo. Juntos, movimentos, lideranças, vereadores e participantes de pelo menos 33 cidades, além de militantes do Partido do Trabalhadores se uniram para avaliar, contribuir e fortalecer o mandato.

    Betão abriu a fala chamando atenção para o atual momento político internacional, citando a Venezuela, o aumento da dívida dos Estados Unidos e a prisão da companheira do Partido dos Trabalhadores da Argélia, Louisa Hanoune. O deputado lembrou ainda que a conjuntura internacional é de luta, para que nenhum direito seja retirado. “Nós estamos vivendo uma situação em vários países que reflete a luta dos trabalhadores contra a retirada de direitos, seja na França, com os coletes amarelos, seja na Argélia, com protestos todas as sextas, que resultou na prisão da nossa companheira do PT do país. O que vemos agora, internacionalmente, é pela manutenção dos direitos. No Brasil também lutamos contra esses governos que falam em projetos como a privatização, a reforma da Previdência e por Lula Livre, nossa principal pauta”, abriu a fala.

    O deputado lembrou ainda que caso seja aprovada, a reforma da Previdência será a morte da aposentadoria e irá reforçar o contexto de perdas dos trabalhadores. “Essa reforma apresentada por Bolsonaro consegue ser pior ainda do que a apresentada pelo Temer. Caso seja aprovada, essa reforma vai aumentar o tempo de contribuição e também retirar benefícios e transformar uma previdência pública e solidária em um regime de repartição”, alertou chamando todos para os atos dos dia 30 de maio e da Greve Geral do dia 14 de junho.

    Por último, Betão falou um pouco da sua luta pelos trabalhadores na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, com destaque pelo empenho contra os cortes de programas como o escola em tempo integral, contras as privatizações anunciadas, e pelos trabalhadores como os da MGS e vigilantes. “Meu mandato sempre esteve e sempre estará à disposição dos trabalhadores”, afirma.

    Reconhecimento

    Mesmo sem poder comparecer ao evento, a presidente do PT de Minas Gerais, Cida de Jesus, enviou à Betão uma mensagem reconhecendo seu trabalho pelo Estado. “Minas Gerais tem vivenciado inúmeros desafios e o estado precisa de deputados combativos como você. Continue representando os interesses do povo mineiro”, disse em nota.

    Para Gilson Lyrio, do Comitê Nacional do Diálogo e Ação Petista, as ações do mandato do Betão refletem a proposta do DAP de dialogar e agir em prol dos trabalhadores. “O DAP veio para retornar e recuperar o trabalho histórico de militância do PT. Temos uma frase que é ‘agir como PT agia’, de voltar a subir morro, voltar para a porta das escolas, dialogar, discutir e agir”, afirma.

    Para Sumara Ribeiro, membro do diretório estadual do PT e do Diálogo e Ação Petista “uma plenária de um mandato de um partido como o PT, que é o maior partido que os trabalhadores do Brasil conseguiram construir na sua história, tem como papel discutir questões além das questões do mandato. Esse é o momento de lutarmos contra a reforma da Previdência, contra os ataques a classe trabalhadora, por um partido dos trabalhadores mais forte e por Lula Livre. Esses caras estão aí, mas a luta e a unidade da classe trabalhadora podem fazer eles serem derrotados. E é esse o desafio colocado ao PT e ao mandato do Betão”, afirma.

    Todos por Betão, por Lula Livre e contra reforma da Previdência

    O vereador de Matias Barbosa, Marcos Martins, abriu sua fala lembrando da importância de lutarmos pela liberdade do presidente Lula. Para ele, além dessa pauta, sempre lembrada por Betão em seus discursos, o mandato tem sido um ponto de apoio dos trabalhadores e das causas sociais. ” É grande a luta, a gente sabe, até pelo período que o Brasil em Minas Gerais passam. O que a gente precisa é isso aqui, Betão, é de mobilização, de estar reunido com as bases para definir as diretrizes dos nossos mandatos”, disse.

    Marinaldo Garcia Rego, vereador de Silverânia, contou que, assim como Betão têm promovido a discussão da reforma da Previdência na Câmara e em outros espaços. Conforme pedido do deputado, ele e outros nove vereadores assinaram uma moção contra a reforma da Previdência. “Assim como o deputado fala, não precisa de reforma. Eles querem uma reforma para beneficiar os grandes devedores da Previdência. Não podemos aceitar, ne?”, reforça.

    Renê Mattos, presidente do PT Juiz de Fora abre sua fala fazendo um pedido legítimo para que “ninguém seja preso por ideologia ou perseguição política. Nós estamos na luta e a nossa diferença está aqui, porque estamos reunidos com a militância comprometida com os direitos humanos e sociais. Nós lutamos pela vida, pela liberdade de Lula e para que nenhum inocente seja preso nesse país”, fez questão de reforçar.

    Para Leonardo Ladeira, da Juventude e Revolução o que o governo tem feito com o povo é “uma chantagem para aprovar uma reforma da Previdência que não favorece o povo, em troca de não se fazerem os cortes. Não aceitaremos e não podemos deixar de relacionar essa chantagem com a prisão de Lula, que também teve seus direitos feridos”, afirma.

    “A interação da comunidade com o deputado e as questões das nossas cidades que nós levamos até ele são pontos muito importantes desse encontro”, disse Sirley Nunes, funcionária pública aposentada da cidade de Santos Dumont. Para Sirley, o debate sobre a reforma da Previdência também foi essencial. “Não acredito em uma reforma que retire direitos dos trabalhadores e dos jovens. A luta contra essa proposta é uma luta de todos nós. Vimos agora o dia 15 de maio, na Greve Nacional da Educação que demonstrou que o trabalhador e a juventude não vão deixar que o governo ataque os direitos tão duramente conquistados por nós”, afirma.

    Para Rivelino Matos, servidor da Universidade Federal de Juiz de Fora e professor da rede municipal, “é essencial que um mandato coletivo traga sua base para discutir a construção d suas ações e apresente o que está sendo feito pela política estadual”. Rivelino lembrou que o momento político do país é muito difícil para a classe trabalhadora, com constantes perdas de direitos. “Eu acredito que nós temos que nos unir em torno de políticos como o Betão. Acredito que a gente tem que buscar o nosso ponto de apoio, assim como buscar o diálogo com a população sobre a importância da união e da luta pelos trabalhadores e estudantes”, completa.

    Educação tem destaque durante o encontro

    As manifestações contrárias aos cortes anunciados pela educação, que no ultimo dia 15 levaram centenas de milhares de pessoas às ruas foi lembrado pelos participantes. A coordenadora do Sindicado dos Professores de Juiz de Fora e membro do diretório nacional da CUT, Cida Oliveira, lembra que desde 2016, após o golpe, o Brasil tem apresentado constantes retrocessos, principalmente na educação.” O ato dos últimos dias mostrou uma grande vitória, mas a nossa luta é grande. Estamos na luta desde 2017, quando fomos para as ruas barrar a reforma da Previdência de Michel Temer, e agora nos próximos dias vamos continuar lutando pela educação e contra a reforma da Previdência. Não permitiremos esse desgoverno”, afirma.

    O estudante Túlio Siqueira abriu sua fala fazendo um pedido, “não deixe de lutar pelas causas coletivas, nem resistir”. Em resposta, Betão disse que a luta é o alicerce do seu mandato e que cumprirá seu compromisso com a liberdade de Lula e pela pauta dos trabalhadores.

    Compromisso

    Durante o encontro os participantes também lembraram de alguns dos projetos alavancados por Betão nos primeiros 100 dias de mandato, como o projeto escola em tempo integral, pelos ostomizados, pelas defesa dos trabalhadores e a reestatização da Vale (acompanhe todas as ações do mandato no site www.nalutacombetao.com.br)

    Como deputado estadual, Betão está na linha de frente em defesa dos trabalhadores e da juventude. O projeto Escola de Tempo Integral, ameaçado pela reforma administrativa do governo Zema, que atende a milhares de estudantes mineiros está sendo amplamente defendido pelo parlamentar em toda região da Zona da Mata e em Juiz de Fora. Além disso, Betão compõe a Frente Parlamentar em Defesa da Ciência, Pesquisa e Tecnologia da ALMG, atua pela acessibilidade e inclusão (como vemos no projeto de lei que assegura banheiros adaptados para ostomizados e na audiência pública que discutirá a acessibilidade em ônibus intermunicipais) e trabalha pela reabertura da urgência e emergência do Hospital Regional João Penido, este também com pedido de audiência pública na Assembleia de Minas.

    Share on facebook
    Facebook
    Share on twitter
    Twitter
    Share on telegram
    Telegram
    Share on whatsapp
    WhatsApp

    Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Fechar Menu