You are currently viewing Betão defende a educação pública como pauta prioritária durante lançamento da Frente Mineira em Defesa da Educação

Betão defende a educação pública como pauta prioritária durante lançamento da Frente Mineira em Defesa da Educação

Lançamento da Frente aconteceu durante o 46° Congresso da União Estadual dos Estudantes, realizado na UFJF nesse sábado

O deputado estadual Betão defendeu a educação pública como uma  prioritária para Minas Gerais durante o lançamento da Frente Mineira em Defesa da Educação Pública Gratuita e de Qualidade. O anúncio do novo instrumento em defesa da educação foi feito na tarde de ontem na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), durante o 46º Congresso da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (Conuee-MG).

Como vice-presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, Betão disse que pretende levar para a Assembleia as pautas da Frente Mineira como instrumento de apoio e reforço às ações da comissão em defesa das universidades e da educação em Minas Gerais.

“Enquanto o governo perde tempo falando de questões morais e de costumes para tentar confundir a cabeça do trabalhador, criando uma 'cortina de fumaça', pautas como a “contra” reforma trabalhista, foram aprovadas. Por isso, é fundamental que a gente atue junto à Frente, criando mais instrumentos de defesa da educação em Minas”, disse Betão, ao comentar os vários retrocessos em curso no Governo Federal.

O lançamento da Frente Mineira contou com representantes de vanguarda nas lutas pela educação, como a deputada estadual Beatriz Cerqueira, Iago Montalvão, presidente da União Nacional dos Estudantes, Luanna Ramalho presidente da União Estadual dos Estudantes, além de ex-presidentes da UNE e representante de entidades estudantis locais e nacionais.

Desmonte da educação é tema central

Em discussão no Congresso, temas preocupantes como os cortes nos orçamentos da educação, a falta de verba para as pesquisas científicas e o projeto Future-se. O presidente da UNE, Iago Montalvão,  afirmou que há muitas décadas não havia um governo tão incisivo contra a educação brasileira e que impede inclusive o movimento estudantil de se organizar, muitas vezes censurando atos e debates nas universidades.

"Nós temos que fazer várias frentes em defesa da universidade pública, com autonomia universitária e com a pluralidade de pensamento, e tudo isso não combina com o Future-se. Articular com parlamentares que nos apóiam a nossa causa é importante, principalmente diante do avanço do conservadorismo nestas instituições”, disse Iago.

Ronald Sorriso, Secretário Nacional da Juventude do PT,  acompanhou os dois dias de debates e painéis de discussões sobre o novo cenário de desmonte da educação, ciência e tecnologia no Brasil. Para ele, o contexto de retrocessos é grande e mais do que nunca, a juventude deve se unir contra os retrocessos anunciados.

"Além da defesa das universidades e institutos federais, tenho observado outros motes da juventude, que estão contra a privatização da CEMIG e a favor da reestatização da Vale, e contra os crimes cometidos pelas grandes mineradoras Vale e Samarco”, disse Sorriso

Há quatro anos como presidente da UEE, Luana Ramalho se sente grata pelas conquistas da entidade até aqui.  Para ela a ideia da Frente Mineira é construir uma resistência em defesa da educação, e que por issoé importante reunir parlamentares que defendem a educação e figuras representativas do movimento estudantil. Ela explica que neste Conuee-MG, realizado entre os dias 20 e 22 de setembro, o movimento estudantil vai eleger uma nova diretoria.

“O Congresso tem o papel de debater os novos desafios das políticas sociais e as lutas necessárias ao movimento estudantil. Por isso, lançamos esta Frente para mostrar que estamos juntos e temos um projeto de educação pública e de qualidade, diferente das alternativas apresentadas pelo governo atual”, finalizou Luana.



Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.