Catadores de Santos Dumont vencem concurso e recebem equipamento que ajudará setor durante a pandemia

A prensa vai facilitar a venda do material reciclado diretamente às empresas e garantir mais renda aos associados

Mesmo em tempos de pandemia do coronavírus a Associação dos Catadores de Material Reciclável de Santos Dumont acaba de receber um bom incentivo para continuar os desafios de reciclar resíduos na cidade. A entidade recebeu o primeiro equipamento resultado de muito esforço e organização da associação e dos voluntários: uma prensa que vai propiciar a venda do material direto para fornecedores pelo dobro do valor atual.

O equipamento é um dos que foram listados dentro do projeto Coleta Verde no valor de R$ 30 mil selecionado pela Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT) dentre 600 iniciativas de todo o Brasil no ano de 2019. O presidente Luis Papa garante que a prensa é apenas o primeiro de uma série de equipamentos que vai trazer benefícios para a entidade, que conta com 29 associados.

“Santos Dumont não possui coleta seletiva então o único trabalho de reciclagem de resíduos sólidos na cidade é feito por esses catadores que retiram em média 20 toneladas de lixo reciclável, que poderiam poluir mais o meio ambiente. Com a prensa a associação pretende aumentar o lucro em duas vezes, vendendo o material todo já prensado, sem precisar de passar por atravessadores”, disse

O projeto é fruto do esforço coletivo de um grupo de voluntários composto por instituições e pessoas de diversas áreas da cidade de Santos Dumont e Juiz de Fora. A iniciativa contou ainda com o apoio do mandato do Betão.

“Com o comércio e as empresas em algumas cidades ainda estão fechadas em função do isolamento social, muitos desses trabalhadores estão sem renda por não ter como recolher o material. Por isso é importante incentivar e auxiliar um projeto que permita melhorias efetivas no trabalho e na renda dos catadoras e das catadores em cidades como Santos Dumont, principalmente agora, nesse momento de crise”, reforça o deputado.

Seleção e organização do local

Para participar do edital da Ancat, o projeto Coleta Verde foi elaborado pela assessora técnica Sheila Naves, da Agência de Desenvolvimento de Santos Dumont e Região (ADESAM), uma OSCIP que auxilia de foram voluntária a gestão de projetos sociais na região. Para ela, a vitória foi o reconhecimento de uma luta que começou há anos e o projeto une a economia solidária e o desenvolvimento sustentável.

“Acompanhamos a reestruturação da associação desde 2015 e fizemos o cadastro dos catadores e a articulação com diversos parceiros, como a Intecoop/UFJF e a Prefeitura. O próximo passo é que eles organizem a sua sede para receber outros equipamentos e que possam começar outra etapa do projeto, que seria a conscientização ambiental no município”, disse.

Segundo o presidente Luis Papa, a busca por melhorias  não para, e a meta agora é conseguir a reforma do galpão com os parceiros. O local da nova sede foi conseguido “com muito custo”, como eles resumem, por meio de um contrato de comodato com a MRS Logística pela nova diretoria da associação.

A luta dos catadores do município teve início no ano de 2005, quando foi criada a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Santos Dumont. De acordo com o primeiro presidente da entidade Carlos Roberto Benedito, conhecido como Seu Carlinhos, “é uma luta muito grande de mais de 15 anos por nossos direitos e, que ao longo dos tempos, contou com muitos parceiros”.

O presidente Luis Papa acredita que os associados só perceberam a importância de fazer parte da Ancat quando participaram, ao final do ano passado, no IV Fórum Gestão Pública de Resíduos Sólidos,na Universidade Federal de Ouro Preto. “Além da consultoria mensal com um representante regional da Associação Nacional, os associados se sentiram valorizados quando foram ao fórum em Ouro Preto com a participação de universidades mineiras e cooperativas de catadores até de outros países como França e Suíça”, disse.

O apoio financeiro é da Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT) que atua junto às cooperativas e associações de reciclagem no apoio a organização social e fortalecimento econômico desses trabalhadores e suas organizações, e por meio de ações e projetos voltados à qualificação produtiva e contribuem ainda para inclusão social e ambiental da categoria.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.