Betão cobra que governo de Minas ofereça ampla testagem aos beneficiários do Ipsemg

Requerimento apresentado vai ajudar o Estado a melhorar a realização de testes atuando com cerca de 840 mil beneficiários e suas famílias; governo de Minas testa menos de 10% da população

Num passado bem recente, agora em julho, Minas chegou a ser o último Estado no ranking de testagem do Brasil, segundo levantamento feito pelo site G1. No mês anterior o Estado conseguiu somente a penúltima colocação. Diante da realidade alarmante de um Estado que testa, em média, 8,5% da capacidade diária da sua população, o deputado estadual Betão apresentou um requerimento para que seja encaminhado ao Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) pedido de providências para que seja oferecida aos beneficiários a ampla testagem para identificação dos possíveis contaminados pela Covid-19.

A demanda surgiu a partir das inúmeras mensagens que chegaram ao nosso mandato de usuários em busca de informações sobre a realização do teste da Covid-19 na rede. A importância desta testagem é estratégica e poderá atender grande parte dos 840 mil servidores públicos e seus familiares. Hoje, o Ipsemg conta com uma rede assistencial composta por 2223 médicos, 921 clínicas, 212 hospitais e 565 laboratórios (dados site Ipsemg referente à fevereiro de 2020), estrutura que poderia ser usada para atendimento à população neste momento.

“O IPSEMG é o maior ‘plano de saúde público’ do país e ele, neste momento tão difícil, deve ter como obrigação colaborar na prevenção à Covid-19,  contribuindo e auxiliando para as melhores soluções no conjunto das políticas públicas governamentais e locais relacionadas à atenção primária em saúde”, acredita Betão, que tem feito uma ampla defesa do Ipsemg diante da tentativa de desmonte proposta na reforma da Previdência apresenta por Zema.

O coordenador do IPSEMG em Juiz de Fora, Rodney Ribeiro explica que o Instituto funciona como uma assistência médica aos servidores e não como plano de saúde privado, e que, nesse caso, têm direito aos testes os pacientes que estiverem internados e que por orientação médica devam fazer a testagem. Para ele, a realização dos testes deve ser papel do Estado e uma das prioridades neste momento.

“Deveria ser do governo o papel de fornecer o teste para que o cidadão consiga saber se está ou não contaminado com a Covid-19, porque quando se faz o teste você consegue identificar o número de pessoas contaminadas e mapear, interrompendo assim, um ciclo de contágio para as pessoas mais próximas”, afirma.

Nesta semana, o deputado estadual Betão também apresentou um Projeto de Lei  2.131/2020 que obriga a cobertura dos testes de Covid-19 pelo planos de saúde que operam no Estado de Minas Gerais. A ideia é que Planos de Saúde da rede privada também passem a oferecer o teste, sempre que houver recomendação médica, reforçando a necessidade de toda a população do Estado ser testada para a doença.

 “Estamos diante de um governo que não acredita no poder dos testes e o próprio governador disse essa semana que ‘testes ajudam, mas não salvam vidas’ o que é um grande erro. Testes ajudam a identificar o mais rápido possível as pessoas doentes e isolá-las do convívio para evitar novas contaminações e mortes. Por isso, a ideia do Projeto de Lei é incentivar a realização dos testes e assim, criar um monitoramento real da Covid-19 em Minas Gerais”, finaliza Betão.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.