Betão aciona Cemig após descumprimento de norma e a suspensão da energia elétrica aos moradores do bairro Parque das Águas em Juiz de Fora

Os moradores do bairro Parque das Águas, no município de Juiz de Fora, acionaram nosso mandato na manhã de hoje, denunciando um corte arbitrário e indiscriminado de energia por parte da Cemig, que atingiu diretamente à vários moradores de baixa renda.

Sem nenhum tipo de aviso, nem ordem de serviço que detalhasse a natureza da suspensão do fornecimento de energia, os moradores foram surpreendidos por uma terceirizada da Companhia, que realizou os cortes de energia de dezenas de consumidores.

O presidente da Associação do conjunto de casas do Parque das Águas, Luiz Carlos Barbosa, conta que até agora não se sabe o motivo do corte indiscriminado, já que os moradores, em sua maioria são de baixa renda e tanto a legislação municipal quanto a estadual proíbem essa atitude.

“A informação que nós tivemos até agora é que a ordem era para que se fizesse o corte para moradores que tenha, por exemplo, problemas nas tampas dos padrões. Mas a Cemig não está nem escolhendo as casas para cortar e várias pessoas tiveram a energia cortada. O nosso questionamento é: o governo de Minas e a Prefeitura determinaram que não pode cortar energia das famílias de baixa renda na pandemia, e porque isso está sendo feito sem aviso prévio?”, reforça.

Nosso mandato, imediatamente acionou a Companhia Energética de Minas Gerais, cobrando providências para o restabelecimento do fornecimento de energia elétrica, já que em março deste ano, o Governo de Minas anunciou que um conjunto de medidas de socorro econômico as famílias de baixa renda, e dentre elas estava a proibição do corte no fornecimento de energia a consumidores cadastrados no programa Tarifa Social da Cemig.

Além disso, o governo se comprometeu a dividir, em até 24 parcelas mensais os valores em abertos e o procedimento pode ainda ser feito no site da empresa.

Vale lembrar que essa medida tomada pela Cemig, descumpre também as determinações da ANEEL, que suspende tais cortes até dia 30 de junho.

“Nosso mandato repudia uma atitude como essa e desde já vamos tomar todas as providência para que esses moradores voltem a ter acesso a um direito básico, que é o fornecimento de energia. Ao fazer isso, a direção da Cemig, sob a gestão do governo Zema, faz um ataque direto à população de Juiz de Fora e principalmente ao mais pobres e isso não pode continuar em nenhum outro lugar do Estado”, afirma Betão que além de ter entrado com um requerimento hoje, lembrou que no começo da pandemia apresentou um projeto de lei sobre o tema. ​

“A medida, além de desrespeitar os moradores do bairro é um ato desumano, já que estamos entrando na fase mais fria do ano e moradores e trabalhadores do local precisam do fornecimento de energia elétrica”, finalizou Betão.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.