Deputado Betão apresenta emendas ao Projeto de compensação do crime da Vale para que recurso seja usado na recuperação da MG-108 em Mutum

O deputado estadual Betão apresentou três emendas ao Projeto de Lei 2508/2021, que trata da compensação financeira da mineradora Vale pelo crime cometido em Brumadinho (2019), com o objetivo de que o recurso seja usado para melhorias de estradas fundamentais para o Estado. Uma delas é a MG-108, no trecho entre os municípios de Mutum e Lajinha, já denunciado pelos moradores ao nosso mandato, e que precisa, urgente, de asfaltamento.

Relembre: https://nalutacombetao.com.br/2020/04/22/betao-cobra-recapeamento-urgente-de-rodovia-em-mutum/

Dos R$ 37,7 bilhões, R$ 11 bilhões do acordo serão destinados pela Vale ao governo de Minas e graças a uma emenda aprovada na Constituição Mineira no ano passado, todo recurso extraordinário que o Estado obtiver acima de 1% do Orçamento, a ALMG deve avaliar o uso do dinheiro.

Por isso, Betão quer melhorar e garantir a destinação correta do valor do acordo, para que o mesmo não seja usado em projetos contra a sociedade, a exemplo a construção do Rodoanel da Região Metropolitana de Belo Horizonte, que vai transformar Brumadinho em um corredor de passagem e desalojar cerca de 3.500 famílias.

IMPORTÂNCIA DA DESTINAÇÃO PARA A MG-108

No começo deste mês, o mandato do deputado Betão esteve no Departamento Intersindical de Estradas e Rodagem (DER/MG), em Belo Horizonte, junto aos vereadores, Malvina da Saúde, Nélia Eterna, Juarez Calixto da Silva, Júlio César Augusto, Reinaldo Luís da Silva e Dary Piloto Coelho, para cobrar providências de um problema histórico na região. Os moradores reclamam que, agora, durante a pandemia, o tempo de viagem entre as cidades pode durar até 8h. Tempo, que para pacientes em estado grave, pode significar uma piora do quadro ou até a morte.

“Será uma obra muito importante, porque os moradores de Mutum, na região do Vale do Rio Doce, estão arriscando suas vidas ao transitar pela rodovia MG-108. O acesso ao município, que está com muitos buracos na via e parte de asfalto soltos ao longo do trajeto tem aumentado e muito o tempo do trajeto para cidades como Manhuaçu, que poderia ser feito em uma hora, leva, em média, mais de três. Se destino for a cidade de Belo Horizonte, a viagem pode durar até 8 horas”, explica a vereadora, moradora e responsável pela luta por melhorias na cidade, Malvina Quintão.

Para, Betão um recurso que vem de um crime dessa natureza, com a morte de 272 pessoas, a maioria moradores e trabalhadores da Vale, em Brumadinho, tem que empregado também em obras que viabilizem melhorias em regiões como o Vale do Rio Doce.

“Em um crime como esse da Vale, nem um tipo de recurso é o suficiente para sanar as mortes, mas com parte da destinação dos mais de R$ 37 bilhões, assim como proposto pelo nosso mandato, será possível viabilizar melhorias nas estradas”, explica Betão.

Lembrando que as emendas serão apresentadas e votadas em Plenário e caso sejam aprovadas, passam a valer como complemento das ações previstas na destinação dos recursos do crime da Vale.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.