Betão destaca a urgência da preservação das nascentes e dos recursos hídricos como saída para a crise hídrica na Zona da Mata

Deputados Betão aproveitou para reforçar a importância do Projeto de Lei 3081/2021 que prevê a preservação do manancial da represa de Chapéu D’Uvas

A crise hídrica e a geração de energia elétrica estão no centro das discussões de praticamente todo o país. Em Juiz de Fora, uma audiência pública trouxe a temática para ser discutida por mais de 40 vereadores, vereadoras e prefeitos da Zona da Mata Mineira e do Campo das Vertentes nesta segunda-feira (25/10).

O deputado estadual Betão participou da audiência a convite do presidente da Casa, Juracir Scheffer. Na oportunidade, ele destacou que é incontestável a crise hídrica que o Brasil atravessa. Relembrou de outros períodos de problemas com a escassez de energia elétrica e pontuou a necessidade de encontrar soluções efetivas para preservar os recursos hídricos.

O deputado apresentou ao Plenário o Projeto de Lei 3.081/21, de sua autoria, que prevê medidas para preservação do manancial da represa de Chapéu D’Uvas que fica nos municípios de Antônio Carlos, Ewbank da Câmara e Santos Dumont, e abastece praticamente metade da população de Juiz de Fora.

“Chamo atenção dos vereadores, vereadoras e prefeitos que estão aqui. Eu apresentei um projeto na Assembleia Legislativa, recentemente, o PL 3.081, que estabelece uma série de normas para ocupação de reflorestamento no entorno da represa e que pode ser usado por vereadores e prefeitos de outros municípios que tenham uma situação semelhante a que nos estamos vivendo aqui na represa de Chapéu D’Uvas”, explica.

O representante da prefeitura de Juiz de Fora, Francisco Campolina, chamou a atenção para a preocupação do Executivo quanto ao perigo de se chegar ao limite do desabastecimento de energia elétrica no município. Para ele, esse problema acarreta a paralisação da produção e, consequentemente, um reflexo negativo para a economia e para o desenvolvimento local.

Nessa mesma direção, o presidente da Câmara de vereadores, Juraci Scheffer, destacou a criação da APOLEGIS (Associação dos Poderes Legislativos da Zona da Mata e Vertentes) e convocou as pessoas presentes a um esforço para se pensar leis que possam caminhar no sentido da geração de energia elétrica sustentável e no desenvolvimento do interior do Estado.

“É nosso papel de legisladores municipais e estaduais discutirmos, aqui, a necessidade de desenvolvimento de políticas públicas efetivas que nos coloque em situação segura para retomada de crescimento, oferta de empregos e dignidade para as pessoas. E isto só vai acontecer quando tivermos governança.”

Entre os vereadores estavam os representantes da cidade de Tombos, Marcelo Amado, Sérgio Muniz e Derli Pinheiro. Em suas falas os legisladores destacaram o apoio à iniciativa do projeto do deputado Betão para a preservação de Chapéu D’Uvas e ainda a necessidade de incentivo a iniciativas de preservação de nascentes, educação ambiental e também consórcios entre os municípios.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.