You are currently viewing Comissão do Trabalho discute situação dos servidores da Perícia Criminal da Policia Civil do Estado de Minas Gerais

Comissão do Trabalho discute situação dos servidores da Perícia Criminal da Policia Civil do Estado de Minas Gerais

No próximo dia 4 de agosto, a Comissão do Trabalho da Previdência e Assistência Social discute, às 15h30, os entraves para a nomeação dos servidores da Perícia Criminal da Polícia Civil de Minas Gerias e a falta de mão de obra em todo o Estado.

A audiência pública, solicitada pelo deputado estadual Betão (PT), vai tratar do fato de que, embora tenha sido anunciada, em 16 de julho, a convocação de mais de 100 aprovados no concurso (além dos 21 recém-aprovados), o número de profissionais não atende à demanda do Estado.

Segundo a Lei Orgânica da Polícia Civil de Minas Gerais, (Lei 129/2013), são necessários 903 Peritos Criminais para atender toda Minas Gerais. A própria Secretaria de Estado, Planejamento e Gestão (Seplag), admite que há, ainda, 170 vagas para Peritos Criminais, o que é chamado de vacância.

Debater as condições de trabalho e a situação dos servidores da Perícia Criminal da Policia Civil do Estado de Minas Gerais é debater a segurança no Estado e o acesso à serviços fundamentais. Não podemos mais esperar para convocação dos aprovados no último concurso público (perito criminal e médico-legista), já que a demanda de recomposição do quadro de servidores dessa área é imensa”, explica Betão.

Desmonte e sucateamento da Perícia também será tratado na audiência

Segundo o sindicato que representa a categoria, o SINDPECRI, além da falta de mão de obra, a Perícia Criminal sofre ainda com as condições insalubres das instalações e a falta de insumo.

“Por essa razão, o Sindicato dos Peritos Criminais de Minas Gerais – Sindpecri/MG convida todos os Peritos Criminais de natureza Criminal a resistirem e se fazerem presentes nesse debate tão importante e que impacta fortemente no serviço público ofertado à sociedade” disse em nota.

Recentemente, o Governo de Minas anunciou a homologação do concurso para 138 aprovados no certame para perito feito em 2021, mas o processo ainda está em andamento.  Hoje, estima-se que haja um déficit de aproximadamente 400 peritos no Estado. Mesmo assim, sem concurso público há oito anos, o governo Zema fez um certame só para 21 peritos e 9 médicos legistas.

O sindicato que representa a categoria, explicou que diante do quadro de pessoas aposentadas, afastadas e com problemas de saúde, até 2023, o Estado de Minas Gerais terá menos da metade de profissionais nesse setor.

Isso significa que não teremos profissionais em casos para examinar locais de crimes contra a vida (homicídios, suicídios), contra o patrimônio (dano, furto, roubo, latrocínio), acidentes de trânsito, locais de engenharia, locais de crime contra o meio ambiente. Profissionais capacitados em perícias em todos os tipos de materiais (biológico/DNA, químico, áudio e vídeo, informática).

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.