You are currently viewing Deputado Estadual Betão e Sindieletro fazem visita técnica a UniverCemig para avaliar condições de atendimento

Deputado Estadual Betão e Sindieletro fazem visita técnica a UniverCemig para avaliar condições de atendimento

Deputado Estadual Betão e Sindieletro fazem visita técnica a UniverCemig para avaliar condições de atendimento

Ida à Sete Lagoas é para apurar denúncias sobre as péssimas condições de atendimento aos estudantes, comprometimento da estrutura física e do fornecimento das refeições

O deputado estadual Betão, acompanhado de representantes do Sindicato dos Eletricitários de Minas Gerais (SindiEletro) visitam, nesta quarta-feira (03/08), a UniverCemig, em Sete Lagoas, na região central do Estado, para apurar denúncias de sucateamento do local. O requerimento, de autoria do deputado Betão, é para que seja feita uma visita técnica no local, que desde 2019 vem sofrendo cortes significativos de verba.

Dentre as denúncias recebidas pelo mandato por meio do Sindieletro está a informação de que, algumas partes da UniverCemig, estariam com a estrutura comprometida, apresentando mofo e infiltrações. Além disso, há relatos de que refeições fornecidas aos alunos estariam estragadas, vindas cruas, azedas e até com larvas.

Para agravar a situação, a Conservadora Campos, responsável pela limpeza e conservação da UniverCemig reduziu o número de trabalhadores (em 2015 eram de 20 trabalhadores do administrativo e 27 instrutores). Já no início de 2022, esse número chegou à 7 pessoas no administrativo e 17 instrutores.

O desmonte da UniverCemig soma aos ataques que a Companhia vem sofrendo no governo Zema com projeto claro de privatização. E a gente sabe que em qualquer processo de privatização a primeira coisa que é feita é o ataque aos trabalhadores e aos serviços e é contra isso que a gente vai lutar”, adianta Betão.

55 anos de história ameaçados pelo projeto de privatização

No último dia 7 de julho, o deputado estadual Betão foi até Sete Lagoas fazer uma panfletagem e dialogar com os trabalhadores sobre o projeto de desmonte para favorecer a privatização do local.

Importante lembrar que, há quase seis décadas, a escolinha da Cemig é referência para as empresas do setor elétrico, pela qualidade dos cursos ministrados, por suas acomodações e pelas refeições fornecidas aos eletricitários.

“Enquanto a gestão de Romeu Zema na Cemig garantiu recursos de R$ 1,2 milhão para privilegiar 15 diretores da empresa com refeições de alto luxo durante um ano, na UniverCemig houve redução drástica do orçamento com a alimentação. A gestão interna do refeitório foi encerrada e desde então os trabalhadores e trabalhadoras se deparam com comida de péssima qualidade e, algumas vezes, estragadas e até com larvas” explicou em nota o Sindieletro.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.