You are currently viewing Betão cobra do Estado realização de estudo de viabilidade para transferência do Presídio de Matias Barbosa, localizado na região central da cidade

Betão cobra do Estado realização de estudo de viabilidade para transferência do Presídio de Matias Barbosa, localizado na região central da cidade

Agora, durante a pandemia, a preocupação é que os presos possam contrair o coronavírus e contaminar a população da cidade; estudo de viabilidade ajudaria a identificar qual a melhor área para instalação dos presos

Preocupado com a situação dos cerca de 150 detentos que hoje estão no Presídio de Matias Barbosa, localizado na região central da cidade da Zona da Mata, o deputado estadual Betão apresentou um requerimento à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) pedindo a realização de um estudo de viabilidade para transferência do local para uma outra área.

“Nossas preocupações são várias. Agora, durante uma pandemia, chegam presos lá que podem estar com a covid-19 e podem também contaminar a população da cidade. Portanto, esse estudo, tendo em vista que por questões logísticas nenhum presídio pode ser localizado na região central, além de necessário, é urgente, porque interfere na segurança sanitária da população de Matias”, afirma Betão.

O presídio, que abrigava cerca de 40 detentos, hoje está superlotado, com mais de 150 presos. Além disso a estrutura que abriga os detentos é um imóvel histórico tombado, então o excesso de detentos pode colocar em risco a própria estrutura do imóvel. Para o vereador da cidade, Marcos Martins (PT), agora, mais do que nunca, é hora do poder público pensar em uma saída que seja boa para toda a população de Matias. “Temos que pensar na saúde dos detentos, dos trabalhadores do local e da população de Matias Barbosa, assim como na segurança da população e na preservação do patrimônio histórico do prédio onde funciona o presídio. Acredito que o estudo de viabilidade, se apresentado em caráter de urgência, poderá nos dar uma alternativa rápida para agirmos em defesa de todos”, afirma o vereador.

Marcos explica ainda que hoje o presídio de Matias funciona como porta de entrada para os presos que ficam, em média, 14 dias, antes de serem transferidos para outros presídios como o Ceresp de Juiz de Fora, podendo ser vetor de transmissão da Covid-19 (veja a notícia  https://tribunademinas.com.br/noticias/cidade/07-07-2020/detento-do-ceresp-testa-positivo-para-covid-19.html ). “Matias Barbosa é porta de entrada e a rotatividade é grande, já recebemos cerca de 2 mil detentos entre março e julho”, finaliza.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.