Betão cobra do Estado realização de estudo de viabilidade para transferência do Presídio de Matias Barbosa, localizado na região central da cidade

Agora, durante a pandemia, a preocupação é que os presos possam contrair o coronavírus e contaminar a população da cidade; estudo de viabilidade ajudaria a identificar qual a melhor área para instalação dos presos

Preocupado com a situação dos cerca de 150 detentos que hoje estão no Presídio de Matias Barbosa, localizado na região central da cidade da Zona da Mata, o deputado estadual Betão apresentou um requerimento à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) pedindo a realização de um estudo de viabilidade para transferência do local para uma outra área.

“Nossas preocupações são várias. Agora, durante uma pandemia, chegam presos lá que podem estar com a covid-19 e podem também contaminar a população da cidade. Portanto, esse estudo, tendo em vista que por questões logísticas nenhum presídio pode ser localizado na região central, além de necessário, é urgente, porque interfere na segurança sanitária da população de Matias”, afirma Betão.

O presídio, que abrigava cerca de 40 detentos, hoje está superlotado, com mais de 150 presos. Além disso a estrutura que abriga os detentos é um imóvel histórico tombado, então o excesso de detentos pode colocar em risco a própria estrutura do imóvel. Para o vereador da cidade, Marcos Martins (PT), agora, mais do que nunca, é hora do poder público pensar em uma saída que seja boa para toda a população de Matias. “Temos que pensar na saúde dos detentos, dos trabalhadores do local e da população de Matias Barbosa, assim como na segurança da população e na preservação do patrimônio histórico do prédio onde funciona o presídio. Acredito que o estudo de viabilidade, se apresentado em caráter de urgência, poderá nos dar uma alternativa rápida para agirmos em defesa de todos”, afirma o vereador.

Marcos explica ainda que hoje o presídio de Matias funciona como porta de entrada para os presos que ficam, em média, 14 dias, antes de serem transferidos para outros presídios como o Ceresp de Juiz de Fora, podendo ser vetor de transmissão da Covid-19 (veja a notícia  https://tribunademinas.com.br/noticias/cidade/07-07-2020/detento-do-ceresp-testa-positivo-para-covid-19.html ). “Matias Barbosa é porta de entrada e a rotatividade é grande, já recebemos cerca de 2 mil detentos entre março e julho”, finaliza.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.