You are currently viewing Betão cobra do consulado italiano garantias do fim do processo de leilão da Casa D’Itália

Betão cobra do consulado italiano garantias do fim do processo de leilão da Casa D’Itália

Apesar da suspensão do processo de leilão da Casa D’Itália, em Juiz de Fora, o local tombado como patrimônio histórico e referência mundial na preservação da Cultura italiana em Minas Gerais está ainda sob ameaça de venda.

Um ano após a primeira cobrança, o deputado estadual Betão (PT) entrou novamente em contato com o Consulado Italiano, em Belo Horizonte, cobrando informações sobre o porquê da realização do leilão e pedindo um compromisso formal de que o certame não será realizado.

“É um espaço que dialoga com a cultura da cidade e representa a história de pessoas, que assim como eu, são descendentes de italiano. Importante falar também que além da parte cultural, a Casa D’Itália presta serviços à diferentes comunidades em Juiz de Fora com a capacitação na área da gastronomia e a realização de esportes. Por isso, nosso mandato quer um compromisso formal do Consulado de que esse espaço será preservado e receberá recursos”, cobra Betão.

História e cultura que aproxima a Itália de Minas Gerais

Importante falar que o local, tombado em 1985, tem mais de 80 anos de história ligando a Itália à cidade de Juiz de Fora. Lá é um espaço de preservação da cultura italiana, forte na cidade, com a permanência de um grupo folclórico nacionalmente conhecido, o Tarantolato, com a realização de um curso de desenho e pintura, uma orquestra, um coral, uma escola de pizzaiolo e um time de bocha. Além de tudo isso, a Casa também é usada frequentemente como espaço locado para outras entidades.

Por isso, a Associação Casa de Itália, que administra o local, já se manifestou contrária ao leilão, assim como a prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão, que também reforçou o apoio e a importância do local para a cidade.

A voluntária do departamento de Cultura e integrante da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (FUNALFA) , Ana Lewer, vê a ameaça do leilão como preocupante, já que o local faz parte da história da cidade e dos imigrantes italianos.

“É um espaço com forte caráter cultural, e é importante falar que muitos dos imigrantes ajudaram com doações para a construção do espaço. A gente ouve casos de pessoas que até venderam suas alianças para contribuir e por isso, leiloar um espaço como esse é acabar com a cultura entre dois países”, reforça Ana.

Se você é contra o leilão da Casa D’Itália não deixe colaborar com o abaixo-assinado na página da casa:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.