Mandato do Betão está atuante nas conferências de segurança alimentar e nutricional

Assessoria terá direito a voto na Conferências Estadual de Minas Gerais sobre o tema

A 3ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, debateu três eixos de atuação participação e controle social, soberania e desenvolvimento sustentável e, ainda desigualdade, pobreza e fome, nestes dias 25 e 26 de setembro, na Casa dos Conselhos, em Juiz de Fora . Para levar as principais pautas da sociedade civil e do poder público foram eleitos seis delegados, dentre eles,  Ariadne Costa, da assessoria do mandato do Betão para representar o município 7ª Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (7ª Cesans).

“Estamos atuantes nas conferências regionais e vamos atuar de forma mais incisiva em defesa da Segurança Alimentar e Nutricional (SANS) na Frente Parlamentar com o mesmo tema na ALMG. Não podemos aceitar esta desestruturação nacional das políticas voltadas para o tema que o governo vem fazendo desde o início do ano, com a extinção de conselhos como o Consea, importante para o controle social e garantia do direito humano à alimentação de qualidade”, disse Betão.

A composição dos seis delegados possui representantes do poder público e da sociedade civil, que vão levar os seguintes encaminhamentos ao encontro estadual: a proposta de criação de um banco de alimentos, a ampliação de espaços nas feiras para agroecologia e economia solidária, mais participação no Consea, entre outros. Nas outras regiões de Minas Gerais, como o Vale do Aço, o mandato vem incentivando a realização destes encontros em outros municípios.  

Entenda o Consea e as Conferências

Organizado pelo Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), a 7ª Cesans tem como objetivo geral ampliar e fortalecer os compromissos políticos para a promoção da soberania e segurança alimentar, garantindo a todos o direito humano à alimentação adequada e saudável, assegurando a participação da sociedade civil e a gestão intersetorial no Sistema, na Política e no Plano Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável.

Em 2014, o Brasil saiu do Mapa Mundial da Fome, segundo relatório global da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). De acordo com a FAO um dos motivos da melhora do índice foi a priorização da agenda de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) a partir de 2003, dando destaque ao lançamento da Estratégia Fome Zero, à recriação do Consea, políticas fomentadas durante o governo do ex-presidente Lula.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu